Sabe o que é micro-traição? Veja quais os 16 sinais de infidelidade online!

Martin Graff, psicólogo da Universidade de South Wales, criou um conceito que pode vir a abalar tudo aquilo que se julga ser as fronteiras da traição: o micro-cheating. Segundo ele, entram nesse conceito todos aqueles comportamentos aparentemente inofensivos que algumas pessoas podem achar perigosos para uma relação — a maior parte dos quais ocorre nas redes sociais. É aquele gosto numa foto provocadora da qual não devia gostar. É aquele emoji com coraçõezinhos no lugar dos olhos que não devia enviar. Ou a mensagem que decidiu apagar para apagar o rasto de um mal-entendido, mas deixou muito à vista.

Claro que nem toda a gente acha estranho que a pessoa com quem está mantenha um contacto saudável com o ex-companheiro. Nas redes sociais, há quem defenda que ver comportamentos como estes como traição pode até alimentar casos de abusos e violência nas relações amorosas. Certo é que Facebook, Instagram e outras redes sociais podem ter vindo mudar o conceito da traição. E, para o micro-cheating, a traição pode ser muito mais subtil do que parece.

OS 16 SINAIS:

  1. Fazer “deep likes”, ou seja, gostar da foto que alguém publicou há muito. É visto como traição porque significa que passou algum tempo a fazer scroll na página da outra pessoa.

2.Manter no histórico de pesquisas o mural de alguém que tentou encontrar sem motivo aparente nenhum. O pior mesmo é ser apanhado: nem toda a gente entende a simples curiosidade.

3. Usar o emoji errado. Os emoji já são uma linguagem virtual, por isso piscar o olho a alguém — mesmo através de um boneco amarelo — pode ser mal interpretado.

4. Seguir ex-namorados não é tolerável para toda a gente. Há quem veja nisso um sinal de que quer manter aquela pessoa naquela vida. E isso pode ser ameaçador para alguns.

5. Publicar sempre “Thirst Trap, uma fotografia sensual online na busca de “gostos” — e de um pouco mais de auto-estima.

6. Manter uma conta em aplicações como o Tinder. Esqueça a desculpa do: “Foi só para mostrar ao meu amigo”. Normalmente não resulta.

7. Telefonar a um “só amigo” ou “só amiga” para perguntar algo que o Google sabe.

8. Identificar outra pessoa numa qualquer publicação que recorde uma “private joke” entre os dois.

9. Partilhar com um ex-companheiro alguma fotografia ou mensagem que lhes recorde os bons velhos tempos.

10.  Ter muitos (demasiados) “snaps” abertos de mulheres que não reconhece no grupo de amigos.

11. Não admitir que se está numa relação — principalmente nas redes sociais, quando se evita publicar fotografias ou mensagens relativas ao companheiro (a).

12.  Demorar ou mesmo não responder às mensagens do companheiro (a), mas estar sempre ao telemóvel durante um encontro.

13. Ter o Facebook cheio de comentários de pessoas numa espécie de “flirt virtual”.

14. Guardar o número de telemóvel de alguém com uma espécie de nome de código.

15. Demorar-se muito mais nas publicações de uma determinada pessoa em detrimento de outras que lhe são mais próximas.

16. Mandar mensagens “só a meter conversa” com pessoas que não lhe são próximas no quotidiano. Principalmente se o conteúdo dessas mensagens forem provocadoras ou sugestivas.

 

 

Fonte: Observador

Vê Também

Pai do Estilista João Rôlo morre depois de ir ao funeral da sua mulher!

O estilista João Rôlo na mesma semana perdeu a mãe e o pai, o que arrasou por …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *